Janaína Tábula

Belo horizonte, 1984

Artista-etc, desenvolve pesquisas e experiências políticas e poéticas na área da performance tendo o corpo e o estado de presença como potencializador de experiências e de outras formas de convivência e afetos. Performance em campo expandido.

janaina_tabula@yahoo.com.br

www.instagram.com/janaina_tabula

Exposições e Participações

  • CarrOvO - Interveção Urbana - 2021

  • Festival 8M RMBH Performance Névoa - 2021

  • La Movida - Performance Névoa - 2020

  • Devir – Virada Cultural de Belo Horizonte - 2019

  • Exposição Coletiva – Meu Corpo Minha Obra – Galeria Mama Cadela – Vídeo Performance Cicatriz é mais forte que a pele – 2019

  • Entre a Vigília e o Sono – Memorial Vale BH (Semana  Internacional da Mulher) - 2017

  • Entre a Vigília e o Sono – Ateliê Perfura BH – 2017

  • Performance: Estudo para Topiaria – Edital Casa Camelo –Galpão Paraíso- 2016

  • Performance: Estudo para Topiaria – 3º MIP – CEIA - 2016

  • Performance: Cício- Projeto de Banda para Arte (CEIA) FUNARTE (julho/2014)

  • Performance: “Mulher com Mulher virá Jacaré’ – Performance de Olívia Viana com participação de Janaína Tábula.(2013)

  • Fotografia: Pesquisas “Corpo Paisagem- investigações” – projeto contínuo.

  • Performance: 1º Mostra Perplexa Escola Guignard (2010) – “Série Intimidades”;

  • Performance: 29º Bienal de São Paulo – Recepção para o Nada – Performance em parceria com o Artista Marco Paulo Rolla (2010)

  • Performance: “O Fim da Linha é o Limite do Gesto” – Disciplina Eletiva da Escola Guignard ministrada pelo Prof.Marco Paulo Rolla (2009)

  • Performance:  “Disformia” – Performance Coletiva ( 2009)

  • Performance:  “Deixar para trás os fios soltos” – Mostra Interna da Galeria Escola Guignard (2009)

  • Coletivo Provisório: Coletivo de pesquisa nas áreas da intervenção urbana e performance  (2009)

Clippings

 

Meu percurso como performer nasce do desejo de um corpo ativo, plástico e simbólico, e da investigação de um estado de presença. O desejo de experimentar e vivenciar o corpo em diversas situações: intimas e sociais. Meus trabalham abordam temáticas femininas e relações ambientais permeadas por um corpo político e poroso.

 

Entendo a performance como um campo do possível e do sensível, uma construção de sentidos que se instaura com a presença do público e que estabelece uma outra relação com o tempo espaço. Uma comunhão entre espiritual e o presente, memória, invenção e imaginação atravessados por um discurso no e do corpo.

 

Iniciei minha construção de um corpo político feminino inicialmente nas minhas origens na região de Brumadinho, Ibirité e Contagem, sendo filha de trabalhadores da terra (Zilda e Adão) sobre influências matriarcais inspiradoras.

Enquanto formação acadêmica perpassei pelas artes cênicas, em especial o teatro. Nas artes visuais solidifiquei meus interesses por experiências ligadas à linguagem da performance no campo expandindo, e cada vez mais penso a ação performática também como ação educativa.

 

Meu processo criativo, geralmente, nasce de uma imagem, poesia, êxtase ou de uma ativação corporal, estas são corporificadas, codificadas e potencializada por uma ação ou gestualidade.

 

Estudo improvisação em dança.


Interesso pelo humano.

 

Exercito a escuta.

 

Desejo.

My career as a performer is born of the desire for an active, plastic and symbolic body, and the investigation of a state of presence. The desire to experience and live the body in various situations: intimate and social. My work approaches women's issues and environmental relations permeated by a porous body politic.

 

I understand performance as a field of the possible and the sensitive, a construction of senses that establishes itself with the presence of the public and establishes another relation with time space. A communion between spiritual and the present, memory, invention and imagination crossed by a discourse in and of the body.

 

I began my construction of a female political body initially in my origins in the region of Brumadinho, Ibirité and Contagem and being the daughter of land workers (Zilda and Adão) on inspiring matriarchal influences.

As an academic I went through the performing arts, especially the Theater. In the visual arts I have solidified my interests by experiences linked to the language of performance in the fexpanded field, and I increasingly think of performance as an educational action.

My creative process is usually born of an image, poetry, ecstasy or a bodily activation, these are embodied, codified and enhanced by an action or gesture.

 

I study improvisation in dance.

I'm interested in the human.

I exercise listening.

Desire.