Devir 01_credito Marcio Otavio.JPG
Devir 02_credito Marcio Otavio.JPG
Devir 03_credito Marcio Otavio.JPG

Devir

2019

A ação consiste em perfurar as camadas que compõem a estrutura do “corpo apresentado”, abrindo espaço simbólico e político e revelando um corpo em estado de dança; uma fissura é aberta, permitindo que o excesso vaze e expurgue um corpo feminino. Essa fissura permite a criação de fatos que produzem ficções que segundo Rancière “não consistem em apena contar histórias imaginárias, e sim a construção de uma nova relação entre a aparência e a realidade, o visível e seu significado, o singular e o comum”. A ficção que será instaurada é entendida como uma intervenção urbana no espaço, que, durante o estado de dança e na aparente imobilidade e silêncio, ativa outros regimes de temporalidade e desloca a imagem escultórica para outras formas de existência.

Fotografia: Marcio Otávio

-

Becoming

2019

The action consists in piercing the layers that make up the structure of the “presented body”, opening symbolic and political space and revealing a body in a state of dance; a fissure is opened allowing the excess to leak out and purge a female body. This fissure allows the creation of facts that produce fictions that, according to RANCIÈRE, “do not consist only of telling imaginary stories, but the construction of a new relation between appearance and reality, the visible and its meaning, the singular and the common”. The fiction that will be established is understood as an urban intervention in space, which, during the dance state and the apparent stillness and silence, activates other regimes of temporality and shifts the sculptural image to other forms of existence.

Photography: Marcio Otávio